Leilões de petróleo e gás devem gerar R$1,1 trilhão em investimentos

16ª Rodada de Licitações bateu recorde de R$ 8,9 bilhões

Leilões de petróleo e gás devem gerar R$1,1 trilhão em investimentos
Ministro de Minas e Energia Foto: Bruno Spada/MME

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, comentou que o leilão do setor de petróleo e gás no valor de R$ 8,9 bilhões superou as expectativas. "Mostra que a política para o setor de petróleo e gás está no rumo certo e abre novas perspectivas para os leilões que acontecem este ano”, declarou após a 16ª Rodada de Licitações, ocorrida no Rio de Janeiro na última semana (10/10).

A rodada teve como objetivo explorar o potencial das áreas das bacias de Campos e Santos que estão fora do Polígono do Pré-sal, além de atrair investimentos para as bacias de Pernambuco-Paraíba, Jacuípe e Camamu-Almada, de novas fronteiras, ou seja, onde há pouca atividade exploratória. A assinatura dos contratos está prevista para ocorrer até o dia 14 de fevereiro de 2020.

Na ocasião, Bento Albuquerque destacou que, com a realização das rodadas em 2019, serão obtidos R$ 1,1 trilhão de investimentos ao longo dos contratos. Ressaltou que as próximas rodadas, citando a 6ª Rodada de Partilha, marcada para dia 7 de novembro e aquele que deverá ser o maior leilão de áreas de petróleo e gás já realizado, dos volumes excedentes do contrato da cessão onerosa, previsto para 6 de novembro, “são resultado de um processo que contou com o trabalho abnegado de representantes de diversos órgãos, Agência Nacional do Petróleo (ANP), do Ministério de Minas e Energia (MME), dos membros do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e do Tribunal de Contas da União (TCU)”.

O Ministro lembrou que o cronograma de licitações estabelecido tem sido fielmente cumprido, o que confere previsibilidade na oferta de áreas exploratórias e gera confiança para os investidores do setor. “Tais rodadas constituem, assim, janelas de oportunidades para o desenvolvimento do nosso potencial petrolífero”, afirmou o Ministro. “E tendo em vista a extensão da nossa plataforma continental, o CNPE iniciará a análise para inclusão, a partir do próximo ano, de blocos exploratórios para além dos limites das 200 milhas náuticas, em região que está sendo tratada como “espelho do pré-sal”. Essa denominação decorre de estudos geológicos realizados pela ANP, que apontam para um grande potencial de reservas petrolíferas na região”, acrescentou.

Confira os blocos arrematados na 16ª Rodada:

*Fonte: Ministério de Minas e Energia